24 fevereiro 2016

AS CORES IDEAIS PARA O VERÃO E PARA O INVERNO !


Estamos colorindo cabelos com a máxima atenção aos detalhes?

 



Já falamos sobre isso aqui no nosso blog Mundo da Beleza mas sempre é bom dar uma revisitada nesta questão mesmo porque estamos nos aproximando do inverno que já foi previsto, será um dos mais frios dos últimos vinte anos.

Você sabe que no hemisfério norte as estações do ano ocorrem inversamente ás nossas , nos países do hemisfério sul. Ou seja, estamos no fim do verão e eles lá em cima, no fim do inverno.

Assim, normalmente acontece com a moda fashion, o que se usou por aquelas terras, é trazido para estas terras como a " tendência" a ser seguida. 

Vamos recaptular algumas destas tendências no passado:

1- Cabelos cacheados - Fim dos cabelos lisos! Você cabeleireiro ou cabeleireira parou de fazer escovas progressivas? comprou mais dez ou doze cacheadores para o seu salão? Não, muito pelo contrário.

O que ocorre é q a cliente brasileira é resistente á muitas das tendências importadas dos paises do norte. As brasileiras gostam de cabelos lisos e ponto final. Cachos são uma realidade em muitos paises do mundo, e são utilizados até mais que no passado, aqui mesmo em nossas terras, mas abandonar as escovas progressivas?Jamais.

2- Poucas opções de cores vermelhas ! No mundo todo houve uma redução acentuada das cores vermelhas nas cartelas das indústrias devido ao aumento da oferta de outras cores fixas como o azul, o violeta e o rosa. Cores largamente utilizadas em cabelos do Japão ao resto do mundo.

As clientes brasileiras nunca vão abandonar as tonalidades vermelhas. Elas os amam. Empresas mundiais só lançam novos vermelhos aqui no Brasil e nossos cabeleireiros acham q são importadas! Eu gosto de vermelhos e se a cliente tem postura e atitude para tal, indico mesmo.

E o fator estação do ano?

Como na moda fashion, a necessidade de se equilibrar a "temperatura" do visual da nossa cliente é o referencial que adotamos para todas as investidas em cores. Ou seja, numa estação do ano muito fria como o inverno, adotamos cores mais aquecidas como mechas claras, tons dourados exclusivos ou até mesmo os vermelhos aclareados.

Já nas estações mais quentes, temos como contraponto, a necessidade de se "resfriar" o visual da nossa cliente com cores mais frias como os marrons frios, os castanhos com mechas em marrom ou mesmo os vermelhos mais escuros e fechados. 

Tudo isso só funciona se considerarmos também a cor da pele de nossa cliente, fria ou quente!

Para ilustrar o meu comentário, vamos considerar aquelas mechas de gosto duvidoso, brancas profundas, que foram feitas nos quatro cantos do país, deixando nossas clientes com aspecto envelhecido e que no verão serviram para aquecer ainda mais o visual das clientes.

Agora no inverno? como ficarão estes cabelos? Pois é, muitos deles serão esfriados com cores frias e ai sim o visual delas será o ideal...

Pense bem antes de fazer qualquer transformação em cores com maior intensidade.

Forte abraço


JCFrancez
Cabeleireiro há 21 anos.Formado pela Academia Pivot Point, especialista em Cores & Mechas premiado com o Troféu Destaque Brasil como especialista em cores 2013/14.


17 fevereiro 2016

OS CONSERVANTES NOS PRODUTOS COSMÉTICOS PARA CABELOS.

Ouvi uma pergunta de uma cliente um dia destes, que me fez pensar em esclarecer todas as nossas clientes e profissionais cabeleireiros a respeito dos conservantes dentro da composição dos cosméticos destinados aos cuidados com os cabelos.


Cuidando de cabelos. Transformando pessoas!
Sempre escrevi neste nosso blog que o profissional, assim como a nossa cliente, deve prestar atenção á composição dos produtos que leva p casa. Isso evita confusões e principalmente, faz com que possamos conhecer o que acontece depois da aplicação do referido produto ou pelo menos, o que esperar dele e dos seus resultados.

Composição é aquela descrição, atualmente escrita em lingua inglesa, nos frascos e potes dos shampoos e máscaras e da infinidade de produtos disponiveis para nosso trabalho. Já a formulação é a quantidade de cada um deles e em que sequencia devem ser misturados quando esta sendo fabricado, e em que temperatura etc, ou seja, são os detalhes tecnicos que podem fazer a diferença entre um produto muito eficiente de um produto dispensável. A formulação é o segredo guardado a sete chaves pelas industrias.

A permissão por parte da ANVISA da possibilidade de se discriminar a composição dos produtos em lingua estrangeira dá-se pelo fato de que muitas das materias primas eram traduzidas de maneira errada ou simplesmente eram trocadas pelo seu nome genérico, que por sua vez, muda de país para país ou de idioma para idioma. Use o google, pesquise em inglês e encontre tudo sobre ela.

Mas e os conservantes? Eles são divididos em conservantes para a fase óleo da preparação do produto, quando houver e conservantes para a fase água, que sempre existe.

Cada um deles causa um efeito na sua referida fase. Quando se mistura materias primas na fase óleo por exemplo, deve-se usar conservantes proprios para esta fase e quanto a fase água é a mesma coisa. Um não funciona no lugar do outro.

Como sabemos, a água "apodrece" muito facilmente. Ela ,mesmo com todos os cuidados das industrias quanto ao seu tratamento, ainda pode conter micro-organismos que com o tempo, estragam a agua e consequentemente, todos os produtos juntos dela. Nos óleos, a mesma coisa acontece.

E como as empresas pensam? Com os cálculos dos engenheiros dos fornecedores de materias primas, chega-se a quantidade de conservante ideal e correta para cada caso, dependendo ai sim, da sua "formulaçao" onde considera-se a quantidade de cada uma delas e o tempo em que o produto ficará exposto, por exemplo.

Até aqui, tudo perfeito.

O que acontece é que, quando você abre seu pote de máscara debaixo do chuveiro e aquelas gotinhas de água entram em contato com o produto? E quando alguns cabeleireiros ou alguns atendentes de perfumarias aconselham você a adicionar água dentro do frasco de shampoo? Você compreende que todos os cálculos, todas as medidas em função da agua utilizada simplesmente foram para o vinagre?

Em duas ou três semanas, seu shampoo ou a sua máscara estarão inutilizados, oxidados e nao terão mais o mesmo resultado e no caso de shampoos, podem ser perigosos para a saude do couro cabeludo.

A mesma cois acontece quando, você abre um produto envasado e "mistura" com outro. Abrindo o frasco por exemplo de um óleo de Argan , o ar e a umidade que entrou no frasco vão com o tempo, estragar seu produto, aquele mesmo que você pagou tão caro!

Pense nisso

Tem dúvidas sobre qualquer assunto relacionados a beleza e aos cabelos? Escreva para nós e faça a sua pergunta...

Um forte abraço

JCFrancez

23 abril 2015

MECHAS : ILUMINANDO OS CABELOS COM TÉCNICA E BOM GOSTO





Fazemos mechas desde que a profissão de cabeleireiros existe, talvez até antes disso, e fazemos com a intenção primeira de iluminar os cabelos deixando-os mais interessantes e mais brilhantes.

O problema é que, fazendo mechas claras - Sim mechas também podem ser mais escuras - usamos produtos descolorantes e eles são invariavelmente agressivos a estrutura dos fios e podem infelizmente, além de estragarem os fios e toda a cabeleira, não dar o resultado ideal ou o desejado pela cliente o que é muito ruim.

Então vamos desmistificar alguns conceitos muito básicos que são difundidos em nossa profissão, sabe-se lá porque e desde quando.

Mito numero 1 - "Não quero luzes, quero reflexos!" Sua cliente , assim  como as minhas, sabem o que lhes é ensinado em revistas e no Youtube. Luzes, reflexos, balayages e seja lá o nome que você tiver escutado, são todos processos de MECHAS. Ou seja, são pequenas ou grandes mechinhas de fios de cabelos 
(Mechas = Coletivo de fios de cabelo) descoloridos ou coloridos á vontade e a técnica do profissional com a intenção de modificar a cor global de uma cabeleira. Simples , não é?

Sejam elas, finas, médias ou espessas, mechas são mechas e ponto final. Entender o que a cliente espera é que faz toda a diferença. Se ela deseja os cabelos iluminados por fios fininhos, ela vai pedir um processo de luzes. Se o desejo dela são mechas mais médias/grossas, certamente ela vai se referir a reflexos. 

Mechas clarissimas acizentadas com
fundo levemente descolorido com superclareadores
e emulsao de 2,5%
Mas este não é o ponto principal deste texto e sim algo muito mais importante que é a definição de claro/escuro e das cores que os físicos chamam de Cores Influentes.

Ocorre que, em nosso trabalho, as vezes nos deparamos com desejos de nossas clientes que não conseguimos interpretar de forma correta. Hoje mesmo em um atendimento a uma grande amiga, ela me disse que havia pedido ao profissional que fez seus cabelos para que a deixasse LOIRA, e o que de fato ela via eram fios claríssimos em meio a uma raiz escura. E posso atestar que o trabalho foi realizado com bastante qualidade por parte desta cabeleireira. Neste caso, temos a ilustração exata do problema a que me refiro: Imprecisão. 


A cabeleireira fez as mechas com muito cuidado e por sinal muito bem descoloridas mas não considerou alguns pontos importantes no processo todo e infelizmente não agradou á minha amiga. Para esta minha amiga, o que ela vê sempre que penteia os cabelos são os cabelos escuros da raiz que se sobressaem á cor clara das mechas. Mas o que aconteceu aqui? Muito simples, erro de projeto.

Mas como pode haver um erro de projeto em um processo que acabei de atestar como bem feito? Sim, isso pode acontecer. Técnicamente as descolorações foram realizadas com muita qualidade mas o erro aconteceu na diagramação das mechas e para isso vou lançar mão de um exemplo bastante conhecido.

As Zebras, são animais brancos com listras pretas ou animais pretos com listras brancas?

Com certeza você vai responder que são animais brancos com listras pretas, mas o fato é que proporcionalmente, as duas coisas podem acontecer, dependendo da CONCENTRAÇÃO de mechas, ops, listras pretas que o animal venha a ter.

Explicando: Se uma zebra tivesse uma única listra preta, ela ainda seria um animal branco mas se aumentássemos a quantidade de listras pretas, afinando-as gradativamente a ponto de cobrir toda a extensão de seu corpo, teríamos ainda assim um animalzinho branco? Sim e não. Se observado a distancia, teríamos uma Zebra de cor acinzentada, devido a ilusão de ótica da mistura das cores branca e preta, concorda?

Mas, se isso nos fosse possível, se ela tivesse apenas algumas listras pretas,de espessura variável , dependendo da região de seu corpo, veríamos, a que distancia fosse, uma linda e imponente Zebra branca com listras pretas. Entendeu o conceito?

Vamos mais fundo ainda?

Se em um processo de mechas, o profissional cabeleireiro fizer seu projeto técnico prevendo mechas claras intercaladas com mechas escuras, dependendo sempre do resultado desejado, esta tal mecha escura, causaria para as mechas claríssimas, o que chamamos de Influencia da Cor. Neste caso, a cor escura deixaria as claras mais evidentes, fazendo o efeito mechas que buscamos no projeto. Se mais e mais mechas claras forem feitas umas ao lado das outras, teremos uma ilusão de ótica de cor única. Se este é o seu objetivo, parabéns,mas no caso da minha amiga, não era nada disso!

Penso também que por programas de TV e revistas de moda hair, somos bombardeados com cabelos cinzas, verdes e as vezes brancos tão brancos que fica difícil determinar a idade de suas modelos com precisão. Com isso, nossas clientes acabam achando que estas cores são ideais para ela e correm para os salões. Cabe a nós profissionais, escolher a melhor opção de cores para cada uma de nossas clientes, não a revista ou a TV.

Então, para realizar um trabalho de mechas que seja lembrado eternamente e favoravelmente, pense no projeto ideal de distribuição de mechas, na espessura destas mechas, em clarear ou não a cor da raiz fornecendo assim o grau de contraste ideal e de bom gosto, bem como no desenho da distribuição destas mechas para que elas não fiquem muito evidentes quando os cabelos voltarem a crescer.

Tem alguma dúvida, é só escrever que responderei com prazer jcfrancez@gmail.com

Curta a nossa página no Facebook - www.facebook.com/FrancezCabeleireiros

Forte abraço


JCFrancez

Jose Carlos Francez Jr é cabeleireiro há 21 anos, especialista em cores e mechas, recebeu quatro vezes o Troféu Tesoura de Ouro e entre outros o Troféu Destaque Brasil 2014 como Especialista Em Mechas.