17 fevereiro 2016

OS CONSERVANTES NOS PRODUTOS COSMÉTICOS PARA CABELOS.

Ouvi uma pergunta de uma cliente um dia destes, que me fez pensar em esclarecer todas as nossas clientes e profissionais cabeleireiros a respeito dos conservantes dentro da composição dos cosméticos destinados aos cuidados com os cabelos.


Cuidando de cabelos. Transformando pessoas!
Sempre escrevi neste nosso blog que o profissional, assim como a nossa cliente, deve prestar atenção á composição dos produtos que leva p casa. Isso evita confusões e principalmente, faz com que possamos conhecer o que acontece depois da aplicação do referido produto ou pelo menos, o que esperar dele e dos seus resultados.

Composição é aquela descrição, atualmente escrita em lingua inglesa, nos frascos e potes dos shampoos e máscaras e da infinidade de produtos disponiveis para nosso trabalho. Já a formulação é a quantidade de cada um deles e em que sequencia devem ser misturados quando esta sendo fabricado, e em que temperatura etc, ou seja, são os detalhes tecnicos que podem fazer a diferença entre um produto muito eficiente de um produto dispensável. A formulação é o segredo guardado a sete chaves pelas industrias.

A permissão por parte da ANVISA da possibilidade de se discriminar a composição dos produtos em lingua estrangeira dá-se pelo fato de que muitas das materias primas eram traduzidas de maneira errada ou simplesmente eram trocadas pelo seu nome genérico, que por sua vez, muda de país para país ou de idioma para idioma. Use o google, pesquise em inglês e encontre tudo sobre ela.

Mas e os conservantes? Eles são divididos em conservantes para a fase óleo da preparação do produto, quando houver e conservantes para a fase água, que sempre existe.

Cada um deles causa um efeito na sua referida fase. Quando se mistura materias primas na fase óleo por exemplo, deve-se usar conservantes proprios para esta fase e quanto a fase água é a mesma coisa. Um não funciona no lugar do outro.

Como sabemos, a água "apodrece" muito facilmente. Ela ,mesmo com todos os cuidados das industrias quanto ao seu tratamento, ainda pode conter micro-organismos que com o tempo, estragam a agua e consequentemente, todos os produtos juntos dela. Nos óleos, a mesma coisa acontece.

E como as empresas pensam? Com os cálculos dos engenheiros dos fornecedores de materias primas, chega-se a quantidade de conservante ideal e correta para cada caso, dependendo ai sim, da sua "formulaçao" onde considera-se a quantidade de cada uma delas e o tempo em que o produto ficará exposto, por exemplo.

Até aqui, tudo perfeito.

O que acontece é que, quando você abre seu pote de máscara debaixo do chuveiro e aquelas gotinhas de água entram em contato com o produto? E quando alguns cabeleireiros ou alguns atendentes de perfumarias aconselham você a adicionar água dentro do frasco de shampoo? Você compreende que todos os cálculos, todas as medidas em função da agua utilizada simplesmente foram para o vinagre?

Em duas ou três semanas, seu shampoo ou a sua máscara estarão inutilizados, oxidados e nao terão mais o mesmo resultado e no caso de shampoos, podem ser perigosos para a saude do couro cabeludo.

A mesma cois acontece quando, você abre um produto envasado e "mistura" com outro. Abrindo o frasco por exemplo de um óleo de Argan , o ar e a umidade que entrou no frasco vão com o tempo, estragar seu produto, aquele mesmo que você pagou tão caro!

Pense nisso

Tem dúvidas sobre qualquer assunto relacionados a beleza e aos cabelos? Escreva para nós e faça a sua pergunta...

Um forte abraço

JCFrancez

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se convidado a expressar sua opinião mas não serão admitidas postagens ofensivas e abusivas.